Bem, tecnicamente falando…

O álcool é diurético, e com isso o organismo desidrata, levando à desidratação da pele e afetando a dermatite.

A alergia

Os processos alérgicos acontecem a partir da liberação de histamina (ela não é algo mau nem bom) – é uma defesa que, no caso de algumas pessoas, acaba causando os sintomas da alergia.

Qualquer bebida alcoólica (por causa do álcool presente) libera a produção de histamina.

Portanto, tomar anti-histaminico e beber álcool vai anular o efeito do anti-alérgico.

A questão da desidratação reforça e piora ainda mais os sintomas, sendo aconselhado – em dias de excesso, aumentar o consumo de água, antes, durante e depois de beber álcool.

O vinho é uma bomba de liberação de histamina porque reúne o álcool e tem a uva que, mesmo sendo uma fruta também ajuda a liberar histamina.

A vermelhidão das bochechas como resposta à histamina

Devem já ter reparado naquelas pessoas sem dermatite, mas que ficam com aquela vermelhão nas bochechas… para um atópico isso já é colocar muita lenha e papel na fogueira. 🙂

Outra dica é hidratar bem a pele, antes da “boemia”, e depois (se conseguir…kkkkkk).

Qualquer uma destas prevenções ajuda a abrandar a recorrência dos sintomas.

Tudo é química! Acho que calcular e se precaver pode fazer da bebida um momento alegre e diminuir um pouco a sensação de culpa por causa da consciência de causar a piora da dermatite.

O consumo de drogas

Há quem afirme que fumar maconha e usar cannabis diariamente ajuda a reduzir a coceira provocada pela dermatite atópica e ajuda no sono.

No entanto, alguns usuários da erva afirmam que a fumaça prejudica em muito a pele…

Em qualquer dos casos não existem pesquisas científicas que suportem tais afirmações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here