A pediculose é uma patologia altamente contagiosa e de elevada prevalência produzida por um ectoparasita conhecido vulgarmente como piolho, que se transmite principalmente por contacto directo. Segundo a localização do insecto, diferenciam-se três tipos de pediculose: capitis, corporis e púbis.

Foto de Infestacao de Piolhos

Causas

Provocada pela infestação por piolhos capilares (Pediculus humanus). Existem três espécies que afectam o homem:

Pediculus Capitis, cujo ciclo vital se dá totalmente na cabeça. Afecta entre 5-l4% das crianças em idade escolar, sendo mais frequente nas meninas do que nos meninos, provavelmente porque ao fazer jogos mais tranquilos, é mais comum o contacto cabeça com cabeça.

Também é mais frequente no início da vida escolar, embora os piolhos não tenham predilecção por nenhuma estação. Não transmite doenças. E menos frequente nos afro-americanos devido à grossura dos cabelos.

Pediculus Corporis, que se associa a estados socioeconómicos desfavorecidos: falta de higiene, promiscuidade. Transmite-se por contacto corporal e com a roupa infestada. Localiza-se principalmente nas axilas, região inguinal e pescoço.

Pode transmitir doenças infecciosas, como o tifo epidémico e a borreliose. O piolho vive e põe os ovos nas pregas e costuras da roupa, aproximando-se da pele quando necessita de se alimentar.

Phtirus Pubis, que se localiza na região púbica e outras partes do corpo onde crescem pêlos de maior calibre, como sobrancelhas, pestanas e axilas. Transmite-se através das relações sexuais, embora também seja possível o contágio pelo contacto com roupa, lençóis ou sanitas contaminados.

Tratamento

Pediculose do couro cabeludo

Dado que a pediculose do couro cabeludo é a pediculose mais prevalente e causa uma grande ansiedade nos pais das crianças infestadas, vamos abordar esta parte do tratamento com mais pormenores práticos e que respondem às frequentes questões que nos são colocadas pelos pais ou educadores.

A forma fundamental de contágio é de cabeça-a-cabeça, pelo que:

– Para evitar contágios, recomenda-se manter o cabelo curto e/ou “apanhado” na escola (melhor duas tranças para deixar a nuca descoberta).

Devemos lembrar que costumam encontrar-se os piolhos na zona da nuca e atrás das orelhas, onde a temperatura é mais constante. Às vezes, é difícil localizar os piolhos, mas encontramos sempre a presença dos ovos ou lêndeas, que estão agarradas ao cabelo.

– Deve evitar-se o uso de chapéus, travessões, ganchos, pentes ou escovas de outras pessoas.

– Evitar o contacto ou proximidade com os cabelos de pessoas infestadas.

– Os objectos utilizados (pentes, escovas, ganchos, etc.) de pessoas infestadas ou suspeitas devem ser desparasitados com uma substância pediculicida, imersos em água bem quente durante 5 a 10 minutos e agitados constantemente para facilitar o desprendimento das lêndeas.

– As toalhas e roupa de cama devem ser lavadas com água quente (60 Cº), já que as lêndeas morrem com temperaturas superiores a 50 Cº, e passadas a ferro posteriormente.

– Os artigos que não podem lavar-se isolam-se dentro de um saco durante 15 dias, já que o piolho só sobrevive 48 horas fora da cabeça.

– O tratamento deve ser sempre familiar, incluindo todos os contactos no caso de confirmar-se a infestação activa.

– Aconselha-se a impedir a entrada das crianças infestadas nas escolas, até que tenham alta médica.

Sintomas

Os sintomas da pediculose humana são:

– Coceira (comiçhão) intensa, é sem dúvida o principal sintoma da pediculose.

Prevenção

Com frequência, somos confrontados com esta questão. Pode fazer-se mediante:

– Prevenção mecânica: pentear frequentemente as crianças com um pente destinado especificamente à prevenção da referida patologia.

– Prevenção química: usar um repelente específico de piolhos sobre o cabelo seco até que fique húmido. Uma aplicação é suficiente para vários dias. Depois de aplicar, não lavar o cabelo para conseguir o efeito máximo.

Tratamento Farmacológico

– O insecticida de eleição no nosso meio é permetrina, que pode encontrar-se em vários produtos na farmácia em concentrações de 1-1,5%. Recomenda-se na forma de gel-loção, já que produz um efeito imobilizante sobre o piolho que morre.

Modo de aplicação:

– Aplica-se a loção sobre a cabeça seca, para que a gordura do couro cabeludo facilite a fixação do produto. Recomenda-se deixar o produto actuar 8 a 10 horas, durante toda a noite. Deve insistir-se na zona da nuca e atrás das orelhas.

– Posteriormente, ou no dia seguinte, o doente deve lavar a cabeça com um champô neutro. Ao lavar, deve ter-se cuidado de não deixar a espuma entrar nos olhos, já que produzirá prurido. Se entrar, deve enxugar-se bem com água limpa.

– Depois de utilizar o champô e de enxugar com água, aplicaremos, com o cabelo ainda molhado, um preparado de ácido acético (vinagre) e água morna, em iguais proporções, ou azeite, durante 10 minutos, para facilitar o desprendimento das lêndeas, que embora mortas permanecem fortemente agarradas ao cabelo.

– Finalmente, para a remoção mecânica das lêndeas, deve pentear-se com um pente fino destinado a esta patologia, com o cabelo molhado, com uma solução de vinagre a 50% em água ou em azeite.

– Este tratamento deve repetir-se 1 semana depois, quando as lêndeas tiveram germinado.

Dado que o parasita põe os ovos precisamente na saída do cabelo do couro cabeludo e que as lêndeas se movimentam com o crescimento do mesmo, se aos 15 dias não houver lêndeas a menos de 4 mm do couro cabeludo, a infestação está curada.

É normal que fiquem lêndeas mortas agarradas ao cabelo depois do tratamento. Estas lêndeas, não viáveis, podem eliminar-se por motivos cosméticos.

A permetrina pode utilizar-se em grávidas e durante a lactância. Em menores de 2 anos não se recomenda tratamento farmacológico, sendo preferível eliminação mecânica.

Outros produtos relacionados com a prevenção e o tratamento da pediculose humana são:

Malathion a 0,5% é muito eficaz, mas tem um odor muito desagradável. É a substância de segunda escolha para os poucos casos de resistência à permetrina.

– Classicamente, era usado o lindano a 1%. Contudo, actualmente, está em desuso, já que o lindano é potencialmente neurotóxico, tendo sido proibida a sua venda nos Estados Unidos e noutros países. Tem contra-indicação nas grávidas, idosos e crianças menores de 2 anos.

Pediculose do Corpo

É prioritário:

– A desinfecção da roupa do indivíduo e da cama.

– A aplicação do antipediculicida tópico por todo o corpo, em forma de loção, deixando de exercer o seu efeito durante 10 horas.

– Evitar contacto com pessoas infestadas.

– Não usar roupa de origem desconhecida.

Pediculose da Púbis

– Evitar contacto com pessoas infestadas.

– Nas crianças, quando detectamos nas pestanas, devem examinar-se os pais.

– É conveniente tratar o companheiro sexual do infectado no último mês.

Tratamento Farmacológico

É o mesmo do que o dos piolhos da cabeça. Devemos aplicar a loção durante 1 hora, ensaboar, com o champô neutro, a púbis, o hipogástrico e o pêlo das virilhas e das axilas durante 5-10 minutos e repetir o tratamento à semana.

Os mais eficazes são os de permetrina a 1,5% ou lindano a 1%. Recomenda-se o tratamento simultâneo do parceiro dos contactos sexuais recentes. Não é preciso depilar-se a zona afectada, mas rasurar.

Nas crianças conviventes podem agarrar-se às pestanas e podem eliminar-se aplicando uma capa grossa de vaselina 2 vezes ao dia ou uma pomada oftalmológica de fisostigmina a 0,025% 2 vezes ao dia durante 8 dias. A roupa interior, os lençóis e as toalhas devem lavar-se com água quente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here