O eritema nodoso é a síndrome dermatológica que coresponde a uma paniculite séptica aguda, é mais frequente em crianças e afecta o tecido celular subcutâneo, com inflamação dos vasos sanguíneo septais, traduzindo-se por sinais de vasculite (nódulos eritematosos, dolorosos e tensos).

Assim, aparecem na pele nódulos dermo-epidérmicos, de cor vermelha ou vermelha-violácea, com diâmetro médio de 1 cm, e são dolorosos à palpação. As localizações preferenciais são as pernas e mãos, não excedendo quatro ou cinco lesões, que evoluem em 10 a 20 dias e que desaparecem sem deixar cicatriz.

Como sintomas gerais aparecem febre, artralgias e alterações digestivas, que precedem o aparecimento dos nódulos. O diagnóstico clínico é fácil, sendo a sua etiologia mais difícil de precisar, já que o eritema nodoso é uma reacção cutânea de diversas causas. Tem tendência para curar completa e espontaneamente sem deixar cicatriz.

Conheça outros tipos de eritema:

(Saiba mais sobre: Eritema Pérnio (Frieira)).
(Saiba mais sobre: Queimadura Solar (Eritema Solar)).
(Saiba mais sobre: Eritema Multiforme (Eritema Polimorfo)).
(Saiba mais sobre: Eritema Fixo Medicamentoso – Tratamento, Causas e Sintomas).

Causas

– Mais frequentemente é idiopático.
– Infecções: infecções estreptocócicas, tuberculose, lepra, clamídias (psitacose, linfogranuloma venéreo), infecções virais  (mononucleose infecciosa e hepatite B e C), doença por arranhão de gato (Bartonella benselae).
– Infecção por Yersinia enterocolitica, histoplasmose.
– Patologias sistémicas: sarcoidose, lúpus eritematoso sistémico, neoplasias, doença inflamatória intestinal (colite ulcerosa, doença de Crohn).
– Gravidez.
– Medicamentos: anticonceptivos orais, brometos, iodetos, sulfamidas, codeína, antibióticos (penicilina, cefalosporinas, tetraciclinas, etc.).

O estudo inicial na consulta de Medicina Familiar deve incluir:

– Hemograma (com velocidade de sedimentação) e urina com sedimento.
– Bioquímica com perfil hepático, função renal, iones, cálcio e fósforo.
– Título anti-estreptolisina ASLO (duas colheitas com intervalo de duas semanas).
– Prova de tuberculina.
– Teste de gravidez.
– Radiografia de tórax (para exclusão de processos infecciosos, como a tuberculose ou a sarcoidose, que decorrem com adenopatias hilares bilaterais em 50%).
– Em caso de diarreia, coprocultura com pesquisa para Yersinia.

Sintomas

– Febre.
– Alterações digestivas.
– Artralgias (isto é, dor nas articulações).
– Nódulos vermelhos e dolorosos.

Tratamento

– Repouso em cama com os membros inferiores elevados.

Tratamento Farmacológico

Relacionado com a etiologia do processo:

– Penicilina 2.400.000 UI i.m. se existir evidência de infecção estreptocócica.

– AINE: indometacina 50 g, de 8-8 horas, naproxeno 500 mg por dia ou aspirina 3 g por dia.

– Iodeto potássico se não houver resposta aos AINE em 48 horas. A dose é de 300-900 mg por dia, dividida em 3 tomas.

O preparado de iodeto potássico:

– Sumo de laranja 250 g.
– Iodeto potássico 30 g.
– Água destilada q.b.p. (quanto baste para) 900 g.

As recidivas são frequentes sobretudo se o doente recomeça a sua vida normal demasiado cedo e volta a colocar-se em contacto com o agente etiológico.

Fotos de Eritema Nodoso