A acne, também conhecida como acne comum (acne vulgaris), é uma doença crónica inflamatória da pele que envolve as unidades pilossebáceas  (folículos capilares e glândulas sebaceas), caracterizada pela formação de comedões (cravos), pápulas, pústulas, nódulos e cicatrizes, que surgem principalmente na face e parte superior do tronco. A acne pode chegar a afectar 60-80% da população e a faixa etária mais afectada são os jovens e adolescentes.

(Veja a nossa galeria de Fotos de Pessoas com Acne (imagens sem photoshop).

Classificação

De acordo com o tipo de lesão existente, a acne classifica-se em:

Acne de grau leve: As lesões principais não são inflamatórias. As papúlas e pústulas são pequenas lesões superficiais que surgem em menor número, e variam em grupos de 10 a 15 lesões.

Acne de grau moderado: As papúlas e pústulas são superficiais e em maior número, e variam em grupos de 15 a 30 lesões.

Acne de grau grave: As papúlas e pústulas existem em maior número e são inflamatórias. Predominam os nódulos e quistos que ao desaparecerem deixam cicatrizes.

Acne conglobata: É um acne do tipo nodulo-quístico com muitas lesões nodulares e pustulosas extremamente grandes e dolorosas. As papúlas, pústulas e comedões aparecem em grande número. Este tipo de acne surge, preferencialmente na raça negra, na maior parte dos casos requer intervenção ciúrgica.

– Outros tipos de acne:

. Rosácea
. Dermatite perioral

Causas (Etiopatogenia)

Intervém múltiplos factores:

– obstrução do canal pilossebáceo por um tampão de queratina
– infecção por propionibacterium acnes e, ás vezes, por estafilococos.
– acção das lípases que leva á libertação de ácidos gordos irritantes.
– aumento da secressão facial gordurosa pela acção dos androgénios.
– predisposição constitucional (pele gordurosa com seboreia)

Tratamento

Geralmente, encontramo-nos perante adolescentes, que desejam um tratamento rápido e eficaz, sendo pouco constantes no seu seguimento e com muita tendência ao abandono, quando não se cumprem as suas expectativas. Assim, é muito importante dar uma correcta informação sobre o tratamento que vamos iniciar e ter em conta uma serie de normas gerais:

– Não existe nenhum alimento relacionado com a acne. A dieta não tem influência na patogenia da acne.

– É importante manter uma boa higiene diária das zonas afectadas, com sabonetes para peles gordas ou anti-sépticos. Só se precisa de uma limpeza que arraste o excesso de gordura, pelo que não é preciso limpar com força.

– Os doentes que apresentem acne devem controlar o uso de cosméticos, pois a maior parte deles tem actividade comedogénica.

– Evitar a manipulação das lesões para diminuir a incidência de complicações e posteriores cicatrizes.

– O tratamento tópico deve aplicar-se sobre toda a região, não só sobre as lesões, já que assim se actua de modo preventivo.

– Os retinóides e o peróxido de benzoílo são irritantes, já que produzem eritema e descamação. Assim, é importante advertir o doente sobre esta possibilidade e aconselhar que inicie o tratamento em áreas localizadas, em dias alternados, aumentando posteriormente a posologia, segundo a tolerância.

– Os efeitos benefícos dos distintos tratamentos, tanto tópicos como sistémicos, requerem várias semanas para serem objectivados, facto para o qual o utente deve estar alertado para que não abandone a terapêutica.

– O médico de família não deve encarar a acne como uma entidade menor ou um processo fisiologico, já que aparece numa idade crucial de estabelecimento de relações, quando a existência de lesões inflamatórias na face pode deixar cicatrizes permanentes e influenciar negativamente a vida futura do doente.

Tratamento farmacológico

A selecção da forma galénica a utilizar é um aspecto importante e realizar-se-á de acordo com o tipo de pele e distribuição das lesões. Os géis, pela sua acção secante, podem ser utilizados em peles gordurosas e os cremes em peles secas.

Acne leve

O tratamento é tópico e é o seguinte:

Gel de limpeza anti-seborreico

(Administração tópica de 12/12 horas e posteriormente aplicar o peróxido de benzoílo).

Peróxido de benzoílo

Constitui o tratamento de primeira linha de eleição. É essencialmente bactericida mas também tem propriedades comedolitícas e seborreguladoras. Na primeira aplicação do produto, poderá manifestar-se uma leve sensação de ardor, eritema moderado e descamação dérmica.

É assim, importante advertir o utente sobre esta provável irritação, que melhora com o uso, aconselhando que inicie o tratamento sobre áreas localizadas, em dias alternados, aumentando posteriormente a posologia segundo a tolerância. Pode iniciar-se a terapêutica á noite, aplicando o peróxido de benzoílo em gel durante 2-3 horas e removendo antes de deitar.

Depois de aplicar deve lavar-se as mãos. A terapêutica do peróxido de benzoílo em combinação com um antibiótico tópico ou um retinóide é mais eficaz do que qualquer um dos agentes utilizados isoladamente.

Antibióticos tópicos

Clindamicina e eritromicina:

Aconselha-se quando predominam as formações pápulo-pustulosas. Aplica-se 2 vezes ao dia, de manhã e á noite, de 1 a 3 meses conforme a melhoria clínica. São fármacos seguros e bem tolerados, embora ocasionalmente, possam provocar leve irritação. Podem ocorrer resistências bacterianas. A eritromicina e a clindamicina associadas ao peróxido de benzoílo actuam sinergicamente e são mais eficazes do que qualquer um dos agentes utilizados isoladamente.

Retinóides tópicos

Se a acne é predominantemente comedónica, o tratamento de eleição são os retinóides tópicos, por serem fármacos comedolíticos. Estão disponiveis a tretinoína, a isotretinoína e o adapaleno. Devemos advertir o utente de que a sua eficácia, como a do resto dos fármacos, começa passadas 6-8 semanas e durante o primeiro mês pode haver um retocesso em 20% dos casos.

Nas primeiras aplicações, a tretinoína produz irritação com eritema, secura da pele, descamação e sensação de tirantes, embora vá melhorando a tolerância á medida que se vai utilizando.

Começaremos com uma concentração de 0,05%. A concentração pode ser aumentada cada 3-4 meses segundo a tolerabilidade. Devem-se aplicar á noite. Começaremos por deixar actuar o creme durante 15-30 minutos na primeira semana, 1 hora na segunda, se não houver irritação, 2 horas na terceira, 4 horas na quarta e toda a noite a partir da quinta semana.

Como alternativas, temos a isotretinoína tópica, que é menos irritante, mas também menos eficaz, e o adapaleno. São fototóxicos, pelo que naõ deve usar-se no verão. Os utentes devem proteger-se do sol noutras alturas do ano. Está contra-indicado o seu uso durante a gravidez.

Existem preparados que combinam antibióticos tópicos e retinóides (eritromicina + isotretinoina) e que se demostraram mais eficazes do que a monoterapia, estando aconselhados quando existem comedões e pústulas. Outra opção terapêutica será a aplicação de dois produtos separadamente, o antibiótico tópico ou peróxido de benzoílo de manhã e o retinóide tópico à noite.

Acne moderada

Além de aplicacão do tratamento tópico das formas leves ou ligeiras, está indicado acrescentar um tratamento sistémico, baseado fundamentalmente no uso de antibióticos e, na mulher, anti-androgénios.

Antibióticos orais

Estes são o farmaco de primeira eleiçao em caso de acne moderado. Os mais utilizados são as tetraciclinas e os seus derivados (doxiclina e minoclina). A dosagem habitual de minociclina é de 100 mg/dia e de doxiclina é de 100 mg/dia, durante pelo menos 3 meses.

Deve lembra-se de que as tetraciclinas devem tomar-se em jejum, são fototóxicas, nas crianças podem produzir tinção irreversível do esmalte dental e estão contra indicado em mulheres gravidas. A eritromicina e restantes macrólidos consideram-se de segunda eleição e recomenda-se no caso de alergia ou falta de resposta ao tratamento, ao que se associam com frequência o desenvolvimento de resistências.

A dosagem da eritromicina é de 500 mg/dia. Como efeitos secundários deste antibiótico, pode surgir fotossensibilidade e aumento dos valores de função hepática.

Anti-androgénios

Os medicamentos Anti-androgénios são o tratamento de eleição nas mulheres que apresentam sinais de hiperandrogenismo (hirsutismo, seborreia intensa, alterações menstruais, ovários poliquísticos). O fármaco mais utilizado é o acetato de ciproterona, que se associa habitualmente a estrogénios, existindo uma forma comercializada desta associação. O efeito terapêutico pode começar a apreciar-se entre 3 e 6 meses.

Acne grave

As formas graves da acne (acne pápulo-pustulosa exuberante e nódulo-quistico) devem ser referenciadas ao dermatologista, já que precisa de tratamento sistémico com isotretoina, que tem muitos efeitos secundários.

Retinóides orais

A isotretoina, um derivados da vitamina A, administrada por via oral é o fármaco mais eficaz para o tratamento da acne. Além de ser teratógenica, tem efeitos adversos do foro psiquiatrico (depressão, tentativa de suicidio) descritos em 5% dos doentes. Os efeitos secundários mais frequentes são a quelitite descamativa e a xerose cutânea intensa, pelo que é necessário sempre hidratar.

Ao referênciar um doente com acne grave para a dermatologia, pode ser útil pedir previamente o perfil lipídico e provas de função hepática e teste de gravidez, visto que para a isotretoina, é necessário o controlo destes parâmetros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here